Alunos Online - Trabalhos Escolares e Educação




Esqueci minha senha

Violência Urbana

A violência que ocorre no meio urbano pode ter como motivação a fraca presença do Estado e a falta de seguridade social de seus indivíduos.

As mortes por arma de fogo estão entre as principais causas de morte no mundo.
PUBLICIDADE

   Entendendo a violência urbana

A violência, ao ser abordada pela sociologia, é considerada como um aspecto inerente a qualquer tipo de sociedade. Dentro dessa perspectiva, a violência é a manifestação do conflito de desejos, vontades e exercício de poder entre os sujeitos que vivem uma realidade assimétrica, em que a divisão desse poder é inerentemente desigual. Dentro dos motivos para essa assimetria, encontram-se os fatores que determinam as posições sociais dos indivíduos – economia, influência política etc – e ainda o poder que o Estado detém na legitimidade do uso da violência como mecanismo de coerção, como é o caso da polícia.

A violência, embora exista em todos os meios, apresenta-se de forma mais frequente nos meios urbanos. Portanto, as ciências sociais têm se encarregado de tentar compreender melhor esse fenômeno e contribuir na luta pela diminuição da incidência da violência urbana. O desafio está na complexidade das relações do meio urbano e das infinitas motivações para a violência que, como dito antes, pode vir do contato entre indivíduos ou mesmo ser institucionalizada.

Dentre os fatores que motivam a violência no meio urbano, alguns se destacam pelo grau de influência que exercem sobre a vida cotidiana do indivíduo social. Entre elas estão a pobreza, a segregação étnica ou o racismo, o nível de criminalidade e a insegurança, que não se resume apenas na estruturação ou na existência da segurança pública apoiada nos órgãos de policiamento, mas tem mais relação com a situação de não seguridade do bem-estar próprio daqueles que não possuem meios para isso.

Nesse sentido, a violência urbana está estreitamente ligada ao enfraquecimento do Estado, que não consegue assegurar uma condição de vida digna àqueles que governa. Esse fato é particularmente sentido pelas pessoas em condição de pobreza, que se veem desamparadas em suas necessidades básicas sem ter a quem recorrer e sem nenhum meio de reparação para sua situação. Neste caso, a exclusão social pode ser claramente percebida como fator contribuinte.
 

   Violência e segurança pública

Existe o argumento que entende que a criminalidade e a violência são frutos do enfraquecimento do artifício de coerção direta do Estado: a polícia. Contudo, embora seja necessária, estatísticas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostram que a polícia brasileira é a que mais mata, chegando a matar 6 pessoas por dia no período de 2009 a 2013, chegando ao número total de 11.197 mortes. O número conta de execuções sumárias e as mortes em conflito armado. Em paralelo a isso, os números dos índices de violência aumentaram segundo o Mapa da Violência de 2014, que traça um panorama sobre a evolução da violência no país, o que mostra que apenas o escalamento da força policial não serve como remediação da situação da violência urbana.

O investimento em seguridade social ainda é visto como a melhor forma de combate ao crime e à violência urbana. Justiça social e igualdade de direitos representam segurança e presença do Estado na vida da população em situação vulnerável. É preciso que o policiamento esteja acompanhado da melhor preparação dos profissionais da área da segurança, da melhoria da qualidade da educação oferecida e da ampliação das ações que promovam maior igualdade social.


Por Lucas de Oliveira Rodrigues
    Deixe seu comentário para "Violência Urbana"


    DESTAQUES
    Confira os destaques abaixo

    ..................................................

    Química
    Conheça exemplos de moléculas apolares.

    ..................................................

    Economia
    Atenha-se à formação das holdings na economia.

    ..................................................