Alunos Online - Trabalhos Escolares e Educação




Esqueci minha senha

Cálculo da Concentração Comum das Soluções

A concentração de uma solução química é a mesma em qualquer alíquota

Digamos que houvesse 5,0 g de sal (NaCl) em 500 mL de água e, depois de misturarmos bem, notássemos que o volume da solução havia permanecido em 500 mL. A partir desse experimento, conseguimos encontrar os seguintes dados:

Massa do soluto (m1) = 5,0 g

Volume do solvente (V2)= 500 mL

Volume da solução (V) = 500,0 mL

Observe que o índice 1 é usado para se referir ao soluto, o índice 2 para se referir ao solvente e quando nos referimos à solução, usamos o índice.

Solução formada por sal dissolvido na água

Se colocássemos mais sal dissolvido nessa mesma quantidade de água, diríamos que a solução estaria ficando mais concentrada. O contrário também é verdadeiro, isto é, se tivéssemos dissolvido uma massa menor de sal nesse mesmo volume de solução, a concentração seria menor.

Portanto, podemos concluir que a concentração comum (C) ou concentração em massa de uma solução química é a relação que existe entre a massa do soluto (m1) e o volume da solução (V).

Podemos calcular a concentração comum por meio da seguinte fórmula matemática:

Fórmula da concentração comum de uma solução

Vamos usar essa fórmula para descobrir qual é a concentração da solução citada no início, antes, porém, veja quais são as unidades usadas no Sistema Internacional de Unidades (SI):

m1=  grama (g)
V = litro (L)
C = g/L

Veja que a unidade do volume é em litro, portanto, precisamos transformar o volume da solução, que está em mL (mililitros), para litros (L):

1 L ----------- 1000 mL
x    ----------- 500 mL

x = 0,5 L

Agora sim podemos substituir esses dados na fórmula:

C = m1
         v

C = _5,0 g
           0,5 L

C = 10 g/L

Isso significa que em cada litro da solução existem 10 g de sal.

A unidade no SI para a Concentração Comum é g/L. No entanto, pode-se expressar essa grandeza utilizando outras unidades que também mostrem a relação entre a massa do soluto e o volume da solução, tais como: g/mL, g/m3, mg/L, kg/mL etc.

Voltando novamente à solução preparada de NaCl, digamos que a dividíssemos em três alíquotas, ou seja, três amostras diferentes da solução, que conteriam respectivamente 0,1 L, 0,3 L e 0,4 L. Podemos descobrir a massa de NaCl dissolvida em cada uma dessas alíquotas por meio de uma regra de três simples:

1ª alíquota:                              2ª alíquota:                              3ª alíquota:

0,5 L ----- 5,0 g                                   0,5 L ----- 5,0 g                                   0,5 L ----- 5,0 g
0,1 L ----- y                             0,3 L ----- w                            0,4 L ----- z
y = 1,0 g                                 w = 3,0 g                                 z = 4,0 g

Agora, veja o que acontece se calcularmos novamente a concentração comum para cada uma dessas alíquotas:

1ª alíquota:                              2ª alíquota:                              3ª alíquota:

C = _1,0 g                               C = _3,0 g                               C = _4,0 g
         0,1 L                                        0,3 L                                     0,4 L
C = 10 g/L                              C = 10 g/L                              C = 10 g/L

Observou? A concentração é a mesma que a concentração inicial. Se não alterarmos a quantidade de soluto nem de solvente, a concentração será a mesma em qualquer alíquota da solução. Isso acontece porque, se por um lado o volume é menor, a massa de soluto dissolvido também é menor, de modo proporcional. Assim, a concentração em massa não depende da quantidade da solução.

 A concentração comum é muito utilizada no cotidiano. Por exemplo, o Código Nacional de Trânsito antigamente previa penalização para quem apresentasse a concentração de álcool no sangue igual ou acima de 0,6 g/L . Atualmente, qualquer quantidade de álcool no sangue que for identificada no teste do bafômetro pode levar às penalidades previstas em lei. Veja o texto Princípio Químico do Bafômetro para entender como a concentração de álcool no sangue afeta uma pessoa e como o bafômetro detecta isso.

Teste de bafômetro

Além disso, os rótulos nutricionais de muitos alimentos, medicamentos e materiais de limpeza e higiene, que são líquidos,trazem a concentração de seus componentes dissolvidos. Por exemplo, no rótulo abaixo, diz que em 100 mL do alimento tem 9,0 g de carboidratos.

Rótulo de alimento

Veja então qual é a concentração de carboidrato nesse alimento:

C = m1
         v

C = _9,0 g
         0,1 L

C = 90 g/L

Isso quer dizer que para cada litro do alimento em questão, serão ingeridos 90 gramas de carboidratos.


Por Jennifer Rocha Vargas Fogaça
    Deixe seu comentário para "Cálculo da Concentração Comum das Soluções"


    DESTAQUES
    Confira os destaques abaixo

    ..................................................

    Química
    Entenda o que é bomba de hidrogênio e qual seu poder de destruição.

    ..................................................

    Gramática
    Que tal aprender a caracterizar corretamente as interjeições? Clique!

    ..................................................