Alunos Online - Trabalhos Escolares e Educação




Esqueci minha senha

Período composto por subordinação

O período composto por subordinação é demarcado por orações dependentes entre si

Em se tratando de período composto, é importante sabermos que este é constituído por mais de um verbo.

Já o termo “subordinação”, como o próprio nome retrata, está diretamente ligado à relação de dependência estabelecida entre as orações, para que as mesmas sejam dotadas de sentido.

Para entendermos melhor como se dá este processo, é preciso retomar ao conceito de período composto por coordenação, para assim fazermos uma análise. Observe:

Os convidados chegaram e ocuparam seus lugares.

Ora, analisando a oração no que se refere aos termos essenciais, percebemos que a mesma possui sujeito e predicado, estabelecendo, portanto, uma relação de sentido quanto ao enunciado linguístico.

Daí o conceito de “coordenação”, uma vez que os termos constituintes são independentes entre si.

O mesmo não acontece no período composto por subordinação, pois a segunda oração estabelece total dependência com a primeira. Note:

Estarei pronta a lhe atender, à medida que as dúvidas forem surgindo.

Podemos perceber que a segunda oração não tem sentido por si só, necessitando, portanto, da informação contida na primeira.

Mediante tais pressupostos, partamos agora rumo ao conhecimento dos traços que demarcam o período em questão, o qual se subdivide, basicamente, em três modalidades. Entre elas, citamos:


Orações subordinadas substantivas – Desempenham funções que no período simples, normalmente, são representadas por substantivos. De modo a exemplificar melhor, analisemos:


Desejo o seu regresso imediato.
 

Notamos que se trata de um período simples, pelo fato de ser formado por apenas um verbo (desejo- verbo desejar), e que o termo em destaque funciona como complemento desta forma verbal, constatado mediante a seguinte indagação: O que eu desejo? Seu regresso imediato.
Logo, percebemos que se trata de um objeto direto.

Transformando este período simples em um período composto, obteríamos:

Desejo que você regresse imediatamente.  Temos agora dois verbos (representados pelo verbo desejar e regressar), e é claro, seguido do complemento já expresso.

Assim, vale mencionar que as orações subordinadas substantivas podem atuar como sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, predicativo e aposto- representadas a seguir de modo particular:  


* Subordinadas substantivas subjetivas – atuam como sujeito do verbo da oração principal:


Era importante o seu comparecimento à reunião.
Tal oração, expressa na ordem direta, resultaria em:

O seu comparecimento à reunião era importante.    

Transformada num período composto, concluiríamos que:
Era importante que você comparecesse à reunião.


Portanto, o termo grifado funciona como sujeito da forma verbal “é”.


* Substantivas objetivas diretas – atuam como objeto direto do verbo, relacionado à oração anterior:


Desejo que você regresse imediatamente.  
             Or. subord. substantiva objetiva direta


* Substantivas objetivas indiretas – atuam com objeto indireto do verbo:


Não se esqueça de que as encomendas já foram entregues.
                            Or. subord. substantiva objetiva indireta.   

* Substantivas completivas nominais – atuam como complemento nominal de um nome, referente à oração principal.


Tenho a impressão de que já o vi antes.
                                  Or. Subord. substantiva completiva nominal (completa o sentido do substantivo “impressão”).
     

* Substantivas predicativas – atuam como predicativo do sujeito da oração anterior:


Meu desejo é que você obtenha um bom resultado. 
                       Or. subord. substantiva predicativa


* Substantivas apositivas – atuam como aposto de um termo referente à oração anterior:  


Só desejo isto: que você obtenha um bom resultado.  
                           Or. subord.. substantiva apositiva


Orações subordinadas adjetivas – Em termos sintáticos, desempenham a função de um adjetivo. Assim, no intuito de melhor compreendê-las, analisemos:


Os atletas foram vencedores. Os atletas receberam as premiações.  

Por que apostarmos em tantas repetições, se podemos usufruir de apenas um pronome que atribuirá uma melhor qualidade ao discurso? Para tanto, vejamos:

Os atletas que foram vencedores receberam as premiações.
Constatamos que o pronome relativo (que) substituiu o substantivo “atletas”, anteriormente retratado.    

Sendo assim, temos que o termo em destaque representa uma oração subordinada adjetiva. Estas, por sua vez, se subdividem em adjetivas restritivas e explicativas.

As restritivas especificam ou limitam o significado referente ao termo antecedente, acrescentando-lhe um elemento indispensável a tal significância. Por isso, ao analisarmos o termo grifado sabemos que se restringe somente àqueles que foram vencedores.

Já as explicativas não limitam o termo antecedente, visto que elas simplesmente acrescentam uma explicação a mais no que tange ao termo anterior, caracterizando num detalhe adicional. Portanto, caso quiséssemos retirá-la, em nada afetaria o sentido da oração. Assim como nos demonstra o exemplo que segue:


Aquela aluna, que é bastante aplicada, ocupará o cargo de monitora.
                          Or. subord. adjetiva explicativa

Um detalhe de extrema relevância que devemos nos ater é que as explicativas aparecem sempre grafadas entre vírgulas. 


Orações subordinadas adverbiais – são aquelas que exprimem uma circunstância referente a um fato expresso na oração anterior, representando, de forma semelhante, a função de um adjunto adverbial. 

E de acordo com tal circunstância, subdividem-se em:


* Subordinadas adverbiais causais – exprimem o motivo, a causa, do fato expresso na oração antecedente:


Como a noite já se aproximava, resolveram descansar. 
Or. subord. adverbial causal


* Subordinadas adverbiais concessivas – exprimem um obstáculo em relação ao fato expresso anteriormente, sem, contudo impedi-lo.

Embora tivesse estudado bastante, não obteve êxito.
Or. subord. adverbial concessiva   


* Subordinada adverbiais temporais – indicam o momento em que ocorre o fato.

Tão logo termine a pesquisa, desligue o computador.
  Or. subord. adverbial temporal


* Subordinadas adverbiais condicionais – expressam uma condição para que o fato expresso na oração anterior seja realmente realizado.

Caso permita, poderei auxiliá-lo no trabalho.
Or. subord. adverbial condicional


* Subordinadas adverbiais consecutivas – indicam a consequência expressa pelo fato anterior.

Tamanha foi sua decepção, que rompeu os laços de uma vez por todas.    
                                                  Or. subord.. adverbial consecutiva


* Subordinadas adverbiais finais – representam a finalidade, o objetivo a ser alcançado mediante o fato expresso.

Para que a amizade fosse preservada, resolveu permanecer em silêncio.    
Or. subord.. adverbial final


* Subordinadas adverbiais proporcionais – expressam uma proporção relativa a um fato anteriormente retratado.

À proporção que a multidão se aproximava, o tumulto aumentava.
Or. subord.. adverbial proporcional


* Subordinadas adverbiais conformativas – indicam a circunstância de modo ou conformidade em relação ao fato expresso pela oração anterior.

Concluímos o trabalho, conforme a orientação do professor.   
                                           Or. subord. adverbial conformativa


* Subordinadas adverbiais comparativas – estabelecem uma comparação em se tratando do termo anteriormente expresso.

Como um anjo, ela dormia serenamente.  
Or. subord. adverbial comparativa


Por Vânia Maria do Nascimento Duarte
    Deixe seu comentário para "Período composto por subordinação "


    DESTAQUES
    Confira os destaques abaixo

    ..................................................

    Química
    Veja algumas das doenças ocasionadas por alguns metais pesados.

    ..................................................

    Física
    Você sabe como ocorre a reflexão e refração da luz? Confira aqui!

    ..................................................